“Após 30 dias de sua partida, a dor permanece, mas sinto que vai suavizando e trazendo maior compressão da necessidade da nossa finitude. Todos os fatos marcantes em nossa convivência profissional eternizaram o respeito e admiração não somente ao profissional, mas ao ser humano.

Todos, que como eu, tiveram a felicidade de conviver com o Dr. Flavio Rezende com certeza partilha deste sentimento. Profissional que trabalhou sempre em prol da oftalmologia em todos os níveis, como professor, como organizador de eventos e ainda atuante como presidente nas Sociedades: Brasileira de Oftalmologia, Brasileira de catarata e na Sociedade Brasileira de Administração em Oftalmologia. Nos trouxe lições e ensinamentos sempre com um largo sorriso, seu e característico, nunca exigindo nada em troca.

Tive também a honra de conviver com a família Rezende, que em parte me influenciou com o lindo relacionamento familiar de cumplicidade e resignação em relação à sua dedicação profissional. Isto teve uma influência muito grande na formação da minha vida profissional e familiar. Ele sempre me foi um mestre, pai, guia e em quem me espelhei. Quando na homenagem do Copa Star, ouvi a Renata falando que na sua infância teve pouco tempo para desfrutar da presença dele, porque estava sempre viajando, dando aulas em congressos e trabalhando, mas quando já crescida e quando também se tornou médica , fazendo residência com ele, pode desfrutar deste pai e mestre maravilhoso , que apesar de ter pouco tempo fora da profissão, teve qualidade de tempo e ensinamentos maravilhosos, senão não seriam as pessoas que são hoje, totalmente apaixonados pelo pai. A Renata era seu Xodó e o Flavinho seu orgulho. Ele falava com boca cheia da meiguice da Rê , da linda relação que tinham e do alto patamar profissional que o Flavinho vinha galgando lá fora. Escutei naquele momento algumas vezes minhas filhas falando o mesmo a mim, mas hoje sinto o fruto do seu legado também nelas. Hoje tenho 3 médicas e filhas maravilhosas, copiando um pouco dele, e do que em mim impregnou. Espero que seus ensinamentos também reflitam na vida de minhas filhas que também tiveram o privilégio de conviver com ele e sentir o quanto a oftalmologia era importante em nossas vidas e que a partir de agora, também será na delas

Sei, que o tempo é o principal conselheiro, que nunca apagará a lembrança, mas, lentamente vai transformado a em saudade.

Grande parte de minha geração que conviveu com Dr. Flavio Rezende se solidariza com a família neste momento ciente que o merecido descanso do guerreiro não é um adeus, mas somente um até logo. Descanse em paz, gigante, todos nós, ainda estaremos novamente juntos.”

Dra Edna Almodin