Transplante de Córnea Endotelial

O transplante endotelial está indicado para pacientes portadores de alterações que envolvam somente as camadas posteriores da córnea, endotélio e membrana de Descemet, sem comprometer outras camadas.

O transplante endotelial, também conhecido como lamelar posterior, está indicado naqueles pacientes que têm uma doença do endotélio corneano. É importante que o estroma da córnea não esteja com comprometido para que haja indicação do transplante endotelial.

Principais indicações do Transplante Endotelial:

– Distrofia Endotelial de Fuchs;
– Ceratopatia Bolhosa;
– Casos selecionados de falência tardia de Transplante Penetrante.

A diferença entre o transplante endotelial e o penetrante é que no endotelial apenas as camadas lesadas (endotélio e camada de Descemet) serão transplantadas. O transplante de córnea Penetrante, é um procedimento mais invasivo, no qual todas as camadas corneanas, inclusive as não doentes, são transplantadas. Neste tipo de transplante é necessário realizar várias suturas para coaptação da córnea doada com a receptora . Já no Transplante Endotelial, através de uma incisão muito menor (de aproximadamente 4 mm), transplanta-se apenas a parte posterior da córnea e não há necessidade de suturas.

Dentre a vantagens da técnica estão o índice de rejeição que é menor (em torno de 10%) e o tempo de recuperação é mais curto (em média 30 dias enquanto no transplante penetrante, essa média é de 1 – 2 anos). Outras vantagens são a ausência de alto astigmatismo irregular e assimétrico nos pós – operatório, a anatomia do globo ocular é mantida e os olhos são mais resistentes a um eventual trauma pós – cirúrgico.